Categorias
Sustentabilidade

RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE E AS NORMAS GRI

Transparência corporativa

RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE E AS NORMAS GRI

WhatsApp Image 2020-07-28 at 19.54.05 (1)

Você sabe qual é a importância dos relatórios de sustentabilidade? E o que é esse tal de GRI? Neste post vamos explicar direitinho por que se ouve falar tanto sobre isso.

Como surgiram os relatórios de sustentabilidade?

Historicamente existem três tipos diferentes de relatórios de sustentabilidade (Campo, 2013):

  • Relatórios Sociais: originados na década de 1970, a partir das demandas por balanços sociais nas atividades das organizações;
  • Relatórios Ambientais: com origem no fim dos anos de 1980 e voltados às questões ambientais, podendo incluir ainda aspectos relativos à saúde e à segurança;
  • Relatórios Anuais: que tendem, desde a metade da década de 1990, a incluir informações quanto aos aspectos éticos, sociais e ambientais das atividades da organização.

Foi na Conferência Eco 92 que alguns princípios sobre desenvolvimento sustentável foram apontados, inclusive a criação de ferramentas para que as empresas conseguissem incorporar a perspectiva ambiental em sua gestão, o que incentivou uma discussão de como incluir a sustentabilidade nos negócios.

No contexto internacional, na cidade de Boston alguns ativistas ambientais, que atuavam na área de finanças, começaram a buscar caminhos para incorporar a questão da sustentabilidade em seus investimentos. Eles queriam conseguir analisar, além dos resultados econômicos, também as questões ambientais e sociais (devido principalmente a acidentes que ocorreram com empresas petrolíferas). Assim, tendo como base os relatórios financeiros, surgiu a ideia de incluir neste mesmo relatório as outras dimensões (ambiental e social) para que a empresa pudesse, então, incorporar na sua gestão as questões de sustentabilidade. Foi neste caminho que algumas grandes corporações, principalmente as de maior impacto, começaram a desenvolver metodologias próprias de relatórios.

A Rio+20 incorporou o princípio de que a transparência corporativa é o pilar do desenvolvimento sustentável e ressaltou a importância dos relatórios de sustentabilidade.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Para garantir que as informações inseridas nos relatórios sejam seguras e que sigam determinados critérios, foram criadas algumas metodologias. A principal delas foi desenvolvida pela Global Reporting Initiative (GRI), a qual surgiu em 1997, e é composta de indicadores e diretrizes que norteiam a elaboração dos relatórios e garantem transparência ao seu resultado final. Assim, o formato e o conteúdo dos Relatórios de Sustentabilidade evoluíram de acordo com as tendências de mercado e foram adaptados, por muitas empresas, ao padrão estabelecido pela Global Reporting Initiative (GRI).

Então, o que são relatórios de sustentabilidade?

Relatório de Sustentabilidade é uma ferramenta utilizada pelas empresas para apresentar seus indicadores sociais, econômicos e ambientais com transparência. Relatar sobre a sustentabilidade é a prática de tornar pública as informações sobre os impactos econômicos, ambientais e sociais, e, portanto, suas contribuições positivas e negativas para o desenvolvimento sustentável.

O GRI é uma metodologia criada para aprimorar o Relatório, incentivar melhores práticas e estabelecer um padrão de divulgação das informações. Um Relatório de Sustentabilidade no padrão GRI permite que a organização defina suas expectativas de desenvolvimento sustentável internas e externas, envolvendo todos os seus stakeholders.

A partir da análise e do alinhamento dos indicadores que a empresa definir como mais relevantes para o seu desenvolvimento, então inicia-se o planejamento dos projetos e programas a curto, médio e longo prazo, com mais foco e eficiência do que provavelmente seria possível sem o padrão GRI. Todo esse processo de implementação de ações deve ser mantido em constante monitoramento para que se possam aferir os resultados.

Essa prática está se tornando extremamente importante para empresas se manterem transparentes a seus stakeholders, mostrarem seu diferencial perante concorrentes e sobreviverem no mercado, e é por isso que é utilizada pelas maiores empresas do mundo.

Qual a relevância dos relatórios de sustentabilidade e que efeito eles têm sobre a sociedade?

Um número crescente de empresas tem percebido os benefícios da adesão a este tipo de relatório, que promove maior transparência e integridade sobre o desempenho de sustentabilidade das organizações, tornando-se uma importante ferramenta para aproximar as empresas a seus stakeholders e ao meio ambiente.

A adesão a estes relatórios é voluntária e tem por objetivos:

  • Apoiar e facilitar a gestão das questões de sustentabilidade das empresas de maneira sistemática;
  • Divulgar os riscos e oportunidades; e construir uma reputação corporativa mais transparente.

Estas informações também podem servir às demandas crescentes da sociedade e, principalmente, como resposta às cobranças dos stakeholders para que as empresas explicitem suas ações de responsabilidade socioambientais e atuações no ambiente em que estão inseridas.

As normas GRI

O modelo GRI têm tido cada vez mais importância para a elaboração de relatórios, ao estabelecer princípios essenciais sobre o desempenho econômico, ambiental e social de uma organização. Sua estrutura está centrada em dois pontos: comparabilidade, que objetiva apresentar um conteúdo paralelo aos relatórios financeiros; e flexibilidade, ao considerar e acomodar as diferenças legítimas entre organizações e setores econômicos.

Diferentes versões das normas GRI foram criadas e melhoradas ao longo do tempo. A versão G1 foi publicada em 2000, a versão G2 em 2002, a G3 em 2006, a G3.1 em 2011, a geração G4 em 2013 e, a última e final versão das normas conhecida como “GRI Standards” foi publicada em 2016.

História do GRI - Global Standard Iniciative.

A atual e final versão do GRI é composta por três normas universais (universal standards), além de outras normas complementares direcionadas aos tópicos específicos.

Estrutura do método GRI.

A GRI 101 – Fundamentos, inclui os dez princípios de relato, os quais são os requisitos básicos para utilizar as Normas GRI nos relatórios de sustentabilidade, além de informações sobre como usar e se referenciar nas Normas. Consiste em conteúdos organizados em três seções:

  • Apresentação dos dez princípios para relato;
  • Explicação do processo básico de como se preparar um relatório de sustentabilidade utilizando-se as Normas GRI;
  • Definição das formas específicas que as Normas GRI podem ser usadas e referenciadas.

A GRI 102 – Conteúdo Geral, cobre as informações de contextualização sobre a organização e suas práticas de relato de sustentabilidade. Consiste em conteúdos organizados em seis seções:

  • Perfil Organizacional;
  • Estratégia;
  • Ética e Integridade;
  • Governança;
  • Engajamento de Stakeholders;
  • Práticas de Relato.

A GRI 103 – Abordagem de Gestão, inclui a abordagem de gestão da organização para cada tópico material. Consiste em conteúdos organizados em três seções:

  • Explicação do tópico material e seus limites;
  • Abordagem de gestão e seus componentes;
  • Avaliação da abordagem de gestão.

Além disso, existem vários tópicos específicos das Normas, organizados em três séries:

  • Tópicos Econômicos (Série 200), os quais incluem as Normas relacionadas ao eixo econômico como, por exemplo, a performance econômica e anticorrupção.
  • Tópicos Ambientais (Série 300), os quais incluem as Normas relacionadas ao eixo ambiental como, por exemplo, energia, água e emissões.
  • Tópicos Sociais (Série 400), os quais incluem as Normas relacionadas ao eixo social como, por exemplo, diversidade, trabalho infantil, trabalho forçado e políticas públicas.

 

As normas GRI possuem uma estrutura modular, podem ser utilizadas em conjunto ou individualmente, possuem conteúdo organizado em requerimentos, recomendações e orientações, inclui um conjunto de “princípios para relato” para orientar a qualidade do conteúdo, e exige que as organizações identifiquem e relatem tópicos relevantes.

 

A Soluta possui uma equipe com certificação nas Normas GRI, qualificada em sustentabilidade e realiza diversos serviços relacionados ao tema, como relatórios de sustentabilidade, auditorias, inventário de emissões e outros. Para mais informações, entre em contato!

Continue curioso! Confira alguns materiais extras!

Referências utilizadas neste texto:

Global Reporting Iniciative (GRI)

Campos, 2013. Relatório de sustentabilidade: perfil das organizações brasileiras e estrangeiras segundo o padrão da Global Reporting Initiative.

BSD Consulting

Fale Conosco:

Como podemos te ajudar? Entre em contato para uma proposta ou esclarecimento.

  • elisasoluta@eco.br

Contato Geral

Fale diretamente com nossos consultores:

E-mail: elisa@soluta.eco.br

Telefone: (11) 98696-0503

E-mail: anacarolina@soluta.eco.br

Telefone: (19) 98327-5902

E-mail: daniela@soluta.eco.br

Telefone: (35) 99201-7174

E-mail:laura@soluta.eco.br

Telefone: (19) 98140-9923

E-mail:luciano@soluta.eco.br

Telefone: (11) 94328-9515

E-mail: priscilasoluta.eco.br

Telefone: (35) 99979-7651

Endereço

  • R: Conselheiro Crispiniano, 139
    Setor 01. São Paulo/SP